Quem são os líderes do seu agronegócio?

O seu agronegócio, assim como empresas de outros setores, é antes de qualquer coisa, composto por pessoas, equipes, colaboradores que interagem entre si de maneira organizada, para executarem as mais diversas tarefas e gerarem os mais diversos produtos vegetais e animais. Como toda equipe, ou organização de pessoas, existem líderes, que influenciam os demais naturalmente, exercendo papel fundamental na produção agrícola e pecuária.

Mas, seriam estes líderes os que ocupam cargos de gerência, ou cargos gerais?

O termo “liderança”

Desde os primórdios da humanidade, pessoas tinham as mais diversas formas de organização que evoluíram e se estruturaram ao longo do tempo. Neste processo, independentemente do nível de evolução, as mudanças ou comportamentos coletivos foram influenciados por pessoas específicas, os líderes.

Sendo para o bem ou para o mau, a liderança, ou a capacidade de liderar, está diretamente relacionada à capacidade de influenciar pessoas no atingimento de suas metas e objetivos. No caso de empresas, ou negócios, espera-se que o líder:

  • Influencie e inspire as pessoas de sua equipe;
  • Guie-as para uma determinada direção;
  • Faça com que todas atinjam os objetivos em comum da empresa.

Muitos acreditam que a liderança dentro de empresas, e no agronegócio, está diretamente associada às responsabilidades e atribuições designadas a cargos superiores, como cargos de gerência. Dentro deste contexto, espera-se que as estratégias, tarefas e informações definidas por gestores cheguem a toda rede de colaboradores por meio destes “líderes”, geralmente associados a chefes ou gerentes. Há quem lembre do ditado: “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

De fato, este modelo em que a informação é passada de chefe para subordinado vigora, e vigorará, em maior ou menor nível em grande parte dos agronegócios brasileiros. Contudo, é cada vez mais notável que cargos e escalões nem sempre se relacionam com a liderança, ou com a capacidade de ser um líder, de influenciar, persuadir e guiar uma equipe, o que pode trazer muitas ineficiências para qualquer operação, levando a maiores custos e consequentemente, menores lucros.

Cargo VS. Liderança

Em um primeiro momento, a palavra liderança pode não ecoar toda a sua significância. Mesmo sem pensar especifivamente a respeito da liderança neste contexto, informações são passadas de pessoas para pessoas, cargo a cargo, até que as tarefas sejam executadas, de uma forma ou de outra. A liderança exerce papel fundamental no comportamento e engajamento de outros colaboradores. Ainda, maiores taxas de engajamento do trabalhador, estão associados diretamente a maiores lucros.

Intuitivamente, líderes são aqueles que detem cargos de maior escalão. Pelo fato de terem mais experiência, ou serem mais capacitados para o cargo, lidarem melhor com responsabilidades, entre outros fatores, são selecionados por gestores, e exercem sim, certa influência sobre outros colaboradores de uma equipe.

O fato de ter um cargo alto, e desta forma ser incumbido de passar responsabilidades e tarefas aos subordinados, pode ser percebido como uma relação de liderança. Os agronegócios, tendo esta estrutura hierárquica (organizacional) bem definida ou não, em grande maioria tendem a acreditar que a informação flui dos gestores para colaboradores, por exemplo, de acordo com esta determinação de funções.

Liderança nos negócios

Muitas vezes, entretanto, líderes não se relacionam com cargos e responsabilidades impostas pela empresa, ou superiores. Os próprios chefes muitas vezes, não figuram como líder.

Um gerente de campo, por exemplo, ao pedir para colaboradores registrarem informações de uma atividade, podem enfrentar a situação de os colaboradores realizarem a tarefa por obrigação, sem o profundo entendimento da importância da mesma.  É comum haver resistência para realizar a tarefa.

Contudo, um líder de equipe tem uma maior facilidade de transpassar a necessidade da tarefa. O líder tem uma preocupação em fazer a equipe entender o porquê de cada tarefa, além de motivar e influenciar colaboradores a aceitarem melhor a atividade, a realizarem mais eficientemente, e de maneira mais natural.

Existe uma série de características no relacionamento das pessoas, que podem mais do que transpassar as responsabilidade e cargos, criando comportamentos, bom senso, respeito e confiança da equipe, que vão influenciar diretamente como as tarefas do dia a dia são realizadas. A liderança, é fruto de interações e estímulos diários, relacionados ou não ao trabalho, que criam uma figura respeitada, e, portanto, mais influente no dia-a-dia da equipe.

Nem todo chefe é um líder, assim como nem todo líder é um chefe. Ao organizar os cargos de gerência e promover mudanças, é importante atentar-se às características de liderança demonstradas por seus colaboradores.

Identificar estes colaboradores que exercem liderança e utilizá-los a favor do negócio, é uma das maneiras de aumentar a eficiência dos processos do agronegócio. A liderança se adquire com o passar do tempo e com a convivência da equipe, e pode ser estimulada, e assim treinada.

A importância de líderes na equipe se faz evidente, também, quando falamos sobre a adoção de tecnologia no agronegócio. Os ajustes na rotina dos colaboradores em detrimento da tecnologia são aceitos por conta da capacidade de influência destes líderes sobre os demais, e consequente laço de confiança e credibilidade construído.

 

 

 

Receba Nossa Newsletter
Junte-se a mais de 10.000 visitantes que recebem nossa newsletter e se beneficiam com artigos sobre gestão no agronegócio.
Somos contra spam. Seu endereço de email está seguro e não será compartilhado.

Use o Facebook para Comentar nesse Post

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *