Cultura perene: avalie hoje para não ter surpresas amanhã

Conhecidas agronomicamente como culturas de ciclo longo, as plantas perenes são aquelas que o seu principal produto são os frutos, tanto para consumo in natura como para indústria, servindo de matéria prima para diversos alimentos e produtos. Não havendo necessidade de replantio após colheita, as plantas perenes exigem um investimento inicial de implantação como maquinário, materiais para abertura de covas e áreas de plantio, mão-de-obra, mudas e insumos. Posteriormente, são realizados tratos culturais periódicos ou anuais que permitem o desenvolvimento de novos frutos e um melhor crescimento da planta de forma a gerar rentabilidade e produtividade no próximo ciclo produtivo.

No Brasil as plantas perenes mais importantes englobam o café, a laranja, o limão, a maçã, a manga, a goiaba, mamão, banana, gramíneas forrageiras ou leguminosas, entre outras.

Mas quais são os benefícios em se cultivar plantas perenes?

As plantas perenes geralmente possuem tratos culturais reduzidos em relação à utilização de fertilizantes, maquinário e pesticidas, uma vez que a planta depois de instalada é capaz de produzir frutos e se manter viva e produtiva durante anos, variando de acordo com a cultura e espécie. Além disso, seu sistema radicular profundo permite uma melhor absorção da água da chuva e trás grandes benefícios à natureza por serem capazes de retirar quase 50% a mais de carbono da atmosfera do que as culturas anuais.

Quando tratamos de cultura perene, seus custos de produção e viabilidade econômica são avaliados e conduzidos de forma um pouco diferente das culturas anuais ou de ciclo curto. No caso das plantas de ciclo longo, seus custos de formação são classificados e avaliados no Ativo Imobilizado, apresentando uma sequência de custo de produção e manutenção da mesma, ou seja, os benefícios econômicos serão aferidos durante a venda e no decorrer do tempo da atividade e seu retorno, levando em consideração custos de manutenção ao longo dos anos e seu retorno dependendo do início da fase reprodutiva da cultura, podendo ser de 3 a 10 anos, conforme a cultura.

Para dar inicio ao planejamento e viabilidade da atividade de instalação de qualquer cultura perene, no primeiro ano o produtor deve se atentar a responder diversas perguntas como:

  • Qual é a minha estimativa de produção e necessidades físicas de insumos?
  • Quais são meus valores de receitas, despesas e investimentos?
  • Qual deve ser a minha receita mensal ou anual para obter meu payback em três ou quatro anos, quando a minha cultura começar a produzir?
  • Existe alguma prática para adiantar a produção de frutos? Quais consequências isso traria para a vida útil do meu pomar?

O retorno sobre o capital investido de uma cultura perene, geralmente inicia-se ao longo do segundo ou terceiro ano, podendo variar de acordo com a cultura e variedade do cultivar escolhido, podendo ele ser precoce com safra que se inicia entre março e abril; meia-estação, entre maio e julho; e tardia, de agosto até o fim do ano, como é o caso de algumas variedades de Laranja. Alguns produtores utilizam estratégias de produção de frutas o ano inteiro, através da utilização de diversos tipos de plantas em um mesmo pomar, mas neste artigo exemplificaremos o retorno sobre capital investido de uma cultura perene da mesma variedade ao longo dos anos:

O valor do dinheiro no tempo

Para avaliar o investimento em culturas perenes é fundamental entender o conceito do valor do dinheiro no tempo. O valor do dinheiro muda no tempo, ou seja, R$100,00 hoje não terá o mesmo valor daqui a um ano devido a fatores como inflação, oportunidade de uso do capital e cálculos de riscos no futuro. Dessa forma, o custo do dinheiro de qualquer negócio deve ser avaliado para verificar se há um retorno adequado dentro das suas reais necessidades em um investimento sem risco, e que a sua remuneração pelo capital empregado seja baseado nessa mudança do valor do dinheiro ao longo do tempo.

Custo do dinheiro (conceitualmente chamado de Custo do Capital) refere-se à remuneração necessária do seu dinheiro para tornar qualquer projeto ou investimento economicamente lucrativo (lucro econômico existe quando todos os custos são cobertos, incluindo o custo do dinheiro). Afinal, se o dinheiro não for empregado na atividade, como no cultivo da lavoura perene, ele poderá ser remunerado em uma outra atividade, como em um depósito em algum banco. E no fundo, o que o banco paga em rendimentos é o custo que ele, banco, tem para ter esse dinheiro e emprestá-lo a outros clientes.

Nesse contexto, uma vez que há o investimento em um pomar de cultura perene, você tem um custo do dinheiro que ali foi empregado e seu pomar deve produzir de lucro contábil (o dinheiro de fato), no mínimo, o equivalente ao custo do uso do dinheiro investido.

Avaliação econômica da cultura perene na prática

Exemplificando, ao investir R$ 1.000,00 em um pomar que terá uma vida útil de 10 anos, o mesmo deverá gerar lucros superiores a R$ 100,00 ao ano (R$1.000,00 investidos divido por 10 anos) MAIS o custo que esses R$ 100 reais terá no tempo. Os R$ 100,00 hoje serão o mesmo que R$ 259,00 daqui a 10 anos caso o custo desse dinheiro seja de 10% ao ano. Desta forma, seu pomar deverá gerar o lucro contábil, para que obtenha o lucro econômico (que considera a remuneração do dinheiro), de no mínimo R$ 259,00 por hectare no ano 10 para suprir o custo desse dinheiro no tempo.

Após instalação e inicio das atividades, todos os resultados obtidos em relação a receitas geradas, controle de despesas, setores improdutivos e investimentos, o produtor, através de uma administração profissionalizada e controle contábil do seu agronegócio, poderá estabelecer a relação custo/beneficio da atividade, buscando maximizar seus lucros dentro das oportunidades e planejamento prévio da sua produção, bem como conhecimento de mercado, oportunidades e valorização dos seus estoques e cadeia de produção e distribuição.

Tenha sempre em mente quais serão seus investimentos iniciais, o tempo do retorno do seu dinheiro, a sua desvalorização e, principalmente, relatórios e estratégias que auxiliem na tomada de decisões preparando-o para os mercados competitivos e cenários otimistas e pessimistas.

Busque profissionalizar sua gestão e formas de maximizar seu lucro e suas estratégias de mercado e produção.

Receba Nossa Newsletter
Junte-se a mais de 10.000 visitantes que recebem nossa newsletter e se beneficiam com artigos sobre gestão no agronegócio.
Somos contra spam. Seu endereço de email está seguro e não será compartilhado.

Use o Facebook para Comentar nesse Post

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *